quinta-feira, 6 de agosto de 2015

História do Barra Mansa Futebol Clube - Parte XII (1966 a 1970)

Equipe campeã da Copa Vale do Paraíba de 1968: Agostinho (comissão técnica), Wilson, Bocão, Ênio, Luiz Carlos, Canário e Café (em pé); Tarugo, Doca, Mário, Maurino, e Bira (agachados).
1966 – O Barra Mansa disputou novamente a Copa Vale do Paraíba em busca do bicampeonato da competição, a qual se tornava cada vez mais popular na região. Apesar da campanha irregular, a vitória por 3 a 1 sobre a equipe do Entrerriense, na casa do adversário, foi um dos pontos altos do clube no certame. Ao final, o Royal, de Barra do Piraí, conquistou o título e, assim, sagrou-se bicampeão da Copa Vale do Paraíba.

1967 – O Leão do Sul fez uma ótima campanha na Copa do Vale do Paraíba, vencendo importantes jogos – começou goleando o América (Três Rios) por 5 a 1 e, após um empate sem gols com o Guarani (Volta Redonda), emplacou quatro vitórias seguidas - 3x1 sobre o Central (Barra do Piraí); 3x2 no Irapuru (Barra Mansa); 2x1 no Entrerriense e 2x1 no Resende. O Barra Mansa superou o rival Royal (Barra do Piraí) e conquistou a quarta edição da Copa Vale do Paraíba, sagrando-se bicampeão da competição. No mesmo ano, o Leão do Sul ainda disputou o Torneio da Confraternização Rio- Guanabara, conquistando a vaga na decisão após vitória por 1 a 0 sobre a Portuguesa (RJ), mas, na final contra o Entrerriense, o Barra Mansa foi derrotado e ficou com o segundo lugar do torneio.

1968 – O Barra Mansa Futebol Clube formou um excelente time para as competições do ano e contava com jogadores de muito destaque, tais como Canário (ex-Vasco e Bonsucesso) e o ponta-esquerda Tarugo. Durante os meses de abril e maio, o Barra Mansa disputou o Torneio Geraldo Ozório Rodrigues. Na estreia venceu o Adrianino por 4 a 0. No jogo decisivo, em 13 de maio, o Leão do Sul foi a Barra do Piraí e venceu o Royal por 1 a 0 (gol de Odir), conquistando o torneio amistoso.
No dia 16 de maio, teve início o quadrangular promovido pela Federação Fluminense de Desportos, com a partida inaugural entre o Barra Mansa e o Americano, de Campos. O vencedor do quadrangular representaria o estado do Rio de Janeiro na Taça Brasil, competição mais importante do Brasil na época e que, recentemente, foi oficializada, pela CBF, como Campeonato Brasileiro. A campanha foi a seguinte: vitória sobre o Americano por 1 a 0 (gol de Raimundinho); empate com o Central em 1 a 1 e com o Goytacaz em 1 a 1; vitória sobre o Goytacaz por 2 a 0. No dia 13 de junho, o Barra Mansa se despediu do quadrangular ao ser derrotado pelo Central por 1 a 0, terminando em terceiro lugar na competição.
No dia 15 de novembro de 1968, o Barra Mansa Futebol Clube foi, novamente, campeão da Copa Vale do Paraíba. A campanha feita pelo Leão foi simplesmente espetacular. No primeiro turno, venceu o Guarani por 2 a 0, o Entrerriense por 4 a 3, o Bangu (de Niterói) por 2 a 1, o Royal por 6 a 3, empatou com o Adrianino em 1 a 1, empatou com o Central em 2 a 2 e perdeu para o Resende por 1 a 0. No segundo turno, venceu novamente o Guarani por 2 a 0, o Adrianino por 2 a 1, o Entrerriense por 3 a 1, o Bangu por 1 a 0 e o Central por 2 a 1. Em 20 de outubro, o Leão conquistou o returno antecipadamente na vitória sobre o Royal por 3 a 1 (gols de Dira, Ronildo e Tarugo) e, em seguida, venceu o Resende por 1 a 0 (gol de Maurino). Na decisão contra o Resende, o Barra Mansa foi à cidade vizinha, no dia 3 de novembro, e venceu a primeira partida por 3 a 1 (dois gols de Maurino e um de Mário). No jogo de volta, em 10 de novembro, empatou em 0 a 0, sagrando-se campeão da Copa Vale do Paraíba, em pleno estádio Esperidião Geraidine.

1969 – Mais uma vez o Barra Mansa montou um excelente time para a disputa da Copa Vale do Paraíba. O clube realizou uma boa campanha conseguindo ir bem em um dos turnos, o que lhe garantiu o vice-campeonato da competição regional. No quadrangular final do Campeonato Fluminense, o Barra Mansa realizou um jogo decisivo no dia 13 de julho contra o Americano, em Campos, mas foi derrotado por 2 a 0, conquistando o vice-campeonato estadual.
No segundo semestre, Americano e Barra Mansa (campeão e vice do estadual) foram convidados pela CBD (Confederação Brasileira de Desportos) para representar o estado do Rio de Janeiro no Torneio Centro-Sul, uma espécie de segunda divisão da Taça Roberto Gomes Pedrosa (o Campeonato Brasileiro da época). Em 24 de setembro, o Barra Mansa estreou na competição goleando o Democrata de Governador Valadares por 5 a 0. Na sequência, o Leão do Sul acumulou insucessos até conquistar uma vitória por 2 a 1 sobre o Americano, encerrando, assim, sua participação no certame nacional.

1970 – O Barra Mansa Futebol Clube disputou o Campeonato Fluminense e, em 29 de abril de 1970, foi publicada uma nota no “Jornal do Brasil” com informações sobre as equipes da partida entre Royal e Barra Mansa, incluída no volante da Loteria Esportiva daquela semana. Entre os dados mencionados sobre o Leão do Sul, tem-se o empate, no primeiro turno, em 0 a 0 com o próprio Royal e a vitória por 3 a 2, na rodada da semana anterior, da equipe barramansense sobre o Americano de Campos.
No mesmo ano, o Barra Mansa se licenciou do profissionalismo e disputou o campeonato amador da cidade, sagrando-se campeão do primeiro turno. A vitória de 1 a 0 do Leão do Sul contra a equipe do Siderantim, com gol marcado pelo atleta Doutor, mereceru nota no jornal carioca “Diário de Notícia”, de 22 de agosto de 1970.

História do Barra Mansa Futebol Clube - Parte I (ano 1915)
História do Barra Mansa Futebol Clube - Parte XI (1961 a 1965) Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário: